The Alienist, uma história de se arrepiar

por em 23 de junho de 2018
 

The Alienist é um thriller psicológico disponível na plataforma Netflix, ambientado na cidade de Nova York no ano de 1896, uma adaptação de um livro do escritor americano Caleb Carr. É mais uma série que vale mais que a pena assistir, contendo 10 episódios. Mesmo com um final bem fechado, dá um gostinho de “quero mais”, tendo 83% de aprovação no Rotten Tomatoes.

 

A História

Logo de primeira somos abordados com um assassinato, onde o foco das mortes são meninos que vivem na prostituição, onde são cruelmente mortos tendo suas partes íntimas decepadas e olhos arrancados.

Em seguida já conhecemos o alienista (psicólogo) Laszlo Kreizler (Daniel Brühl) que buscará solucionar o caso juntamente de uma equipe, o ilustrador John Moore (Luke Evans) e a secretária do comissário de polícia, Sara Howard (Dakota Fanning), entre outros.

Por ser um thriller, passamos o tempo inteiro tensos juntamente com os personagens. Até mesmo em cenas rotineiras, como dentro de um restaurante cheio de pessoas, ficamos atentos.  

 

Sobre o elenco

Contém um elenco com rostos já conhecidos e talentosos, como a Dakota Fanning. A atuação de todos está de surpreender, até mesmo para o ator Luke Evans (tenho meus preconceitos após Drácula).




É muito legal a forma como trabalham com os personagens, de forma geral. Vemos que um personagem centrado pode perder a cabeça em momento de estresse, como qualquer pessoa. Até mesmo o cara da esquina vai conter um enredo e um desenvolvimento, fazendo com que todos tenham personalidades únicas. 

 

A filmagem

Eles não tem pena de mostrar a crueldade. Sendo apaixonada por filmes góticos, a série possui cores frias e muita neblina, nota-se logo na foto de entrada na Netflix, foi um dos motivos que mais me atraiu. 

O segunda foi o foco da pesquisa em busca do assassino ser a psicologia, buscar entender o porque e como funciona a cabeça da pessoa que matou.

 

Considerações finais

Tendo todo o contexto histórico da época, é muito interessante analisar tudo que acontece durante o seriado. Uma mulher trabalhando na polícia, autópsia em corpos, a utilização de digitais como método de pesquisa e todo o preconceito e desrespeito com a profissão psicólogo.

É mais uma série que eu assistiria novamente. Ainda não houve confirmação para uma segunda temporada, mas aguardamos ansiosamente por novidades.