Entrevistamos o autor de Pokemon Go: De A a Z

por em 12 de setembro de 2016
 

Pokemon Go é uma febre mundial. Desde seu lançamento, todos querem pegar os monstrinhos espalhados pela cidade. O problema é que nem sempre as pessoas sabem como funciona direito o jogo. O livro Pokemon Go De A a Z chega para suprir essa necessidade do mercado. Com verbetes simples, a publicação acaba falando não só sobre o app, mas também sobre a franquia em si, com curiosidades e ilustrações fofíssimas.

Claudio Prandoni de Pokemon Go De A a Z




O lançamento do livro do jornalista especializado em games Claudio Prandoni foi feito durante a Brasil Game Show, com direito até mesmo a uma tarde de autógrafos. Acompanhamos um pouco da tarde e batemos um papo com o autor.

Pokemon Go De A a Z

SGK: De onde veio a paixão por videogames?

Veio de bem pequeno, quando estava começando a ler. Meu avô era dono de uma banca de jornais na rodoviária de Santos e às vezes me emprestava gibis e revistas de videogame. Fiquei fascinado pelo assunto, logo pedi por um videogame (ganhei um lindo Master System II com Alex Kidd na memória!) e desde então nunca mais parei de acompanhar esse universo que tanto curto.

SGK: Qual foi o seu primeiro videogame?

Um Master System II, com Alex Kidd in Miracle World na memória (e o Castle of Illusion como ‘fita’ extra).

SGK: Como você conheceu Pokemon?

Conheci Pokémon de tanto ler as revistas de videogame, neste caso especialmente a Nintendo World. Quando os primeiros jogos da série saíram, a Nintendo tinha uma presença muito forte no Brasil e logo começaram a surgir propagandas em lojas pela cidade. Já sabia do esquema de dois cartuchos diferentes, daí combinei com meu irmão: ele jogou o Blue, eu joguei o Red.

SGK: Há quantos anos você atua na área de games?

Já faz pouco mais de dez anos. Eu me formei em Jornalismo no final de 2006, mas no primeiro semestre de 2005 já era estagiário na Fábrica de Quadrinhos, estúdio que tinha um site com muitas notícias do universo pop na época, incluindo games, onde publiquei meus primeiros textos sobre games a trabalho.

SGK: Como veio o convite para escrever o livro?

O convite partiu do Marcelo Duarte, um dos donos da editora Panda Books. Já conhecia o Marcelo de alguns trabalhos que fizemos em parceria no canal pago ESPN Brasil. Poucos tempo antes do Pokémon GO sair ele já havia publicado um livro sobre Minecraft e tido uma boa experiência e viu no Pokémon GO outra boa oportunidade de falar sobre games. Depois de ver uma reportagem minha em vídeo para o UOL Jogos, ele me chamou pra bater um papo e aí começou o projeto do livro.

SGK: Era um sonho seu escrever um livro?

Não. Nunca tinha planejado escrever um livro. Claro que, como comunicador, já havia pensado na situação e tal, mas nunca tinha efetivamente planejado fazer isso acontecer. Ainda assim, quando a oportunidade surgiu, mergulhei de cabeça e fiquei muito feliz de ter conseguido dar conta do projeto, escrevendo do jeito que eu gostaria e em tempo de lançar numa época boa.

SGK: O livro ficou pronto muito rápido. Houve alguma pressão para isso?

Não houve pressão nenhuma. O projeto inicial já contemplava um tempo curto de produção do texto, então foi mais questão de eu me organizar e colocar o planejamento em ação de forma eficiente. Felizmente, deu tudo tão certo que houve tempo até de incluir alguns textos que não estavam previstos inicialmente.

SGK: O livro não é exatamente um livro de dicas, focando mais em explicar funcionalidades do jogo, além de falar sobre alguns pokemons específicos. Porque isso?

A princípio, o livro seria um grande almanaque de verbetes de A a Z, a exemplo do excelente trabalho feito pelo jornalista Sérgio Miranda no livro Minecraft de A a Z. Entre as páginas, já tínhamos planejado incluir algumas dicas simples e curiosidades. Porém, com o lançamento do jogo e milhões de pessoas pelo mundo descobrindo dicas e macetes e, mais ainda, ficando em dúvida com tudo isso, vimos uma oportunidade de enriquecer o livro com estratégias e tutoriais, buscando trazer algo de útil tanto para quem não tem o costume de jogar, mas está dando uma chance para o Pokémon Go, quanto para a galera mais dedicada, que quer formar equipes poderosas e dominar ginásios.

SGK: Qual o seu Pokemon favorito? E seu jogo de Pokemon favorito?

Meu Pokémon favorito é o Bulbasaur, pois foi o primeiro que escolhi e treinei na vida! Já entre os jogos da série, meu favorito é o Pokémon Red pelo mesmo motivo – foi o primeiro que joguei. Ainda assim, tenho um carinho especial também por Pokémon Gold e Pokémon Snap.

SGK: Valor, Instinct ou Mystic?
Mystic!


Pokemon Go: De A a Z

Editora: Panda Books
Preço sugerido: R$26,90
Disponível nas livrarias