Batalha Invisível: O que você precisa saber sobre Guerra Cibernética

por em 28 de abril de 2017
 

Na era da tecnologia, as guerras podem ocupar também o espaço virtual, um fenômeno conhecido como guerra cibernética ou ainda ciberguerra. O nome pode até remeter à ficção científica, mas a verdade é que atos de guerra cibernética já são colocados em prática nos dias de hoje, e são considerados de grande risco para as nações.

Se você acha que uma guerra virtual pode acontecer somente em jogos como Call of Duty ou Battlefield 4, ou que uma ciberguerra está mais pra um embate entre raças alienígenas contra humanos supertreinados com trajes especiais como em em algum jogo de Halo ou em Destiny, está enganado. Uma guerra cibernética acontece por meio da SkyNet de computadores e afeta tudo que está conectado à internet.

Entenda mais sobre o tema com os tópicos a seguir.

O que é Guerra Cibernética?

Basicamente, guerra cibernética consiste em ataques digitais às estruturas de um alvo, para fins de sabotagem ou espionagem. Nesse cenário, o campo de batalha é o espaço cibernético, as armas são os malwares, as defesas são os firewalls e os principais alvos são equipamentos de controle e bancos de dados.

Guerra Cibernética

Guerra Cibernética: quase isso…

Como Funciona a Guerra Cibernética

Com o apoio do governo, hackers acessam indevidamente os computadores e as redes do oponente para afetar recursos necessários para guerra, ou mesmo conseguir informações através da espionagem. A invasão, geralmente, ocorre da mesma maneira que em um computador comum: os hackers estudam o sistema para descobrir suas falhas e depois as usam para controlá-lo ou destruí-lo.

Ameaças da Guerra Cibernética

Levando em consideração nosso contexto atual, onde a internet é utilizada em praticamente todos os serviços essenciais – hospitais, aeroportos, polícia, bancos, produção de energia e etc. – um ciberataque pode ter grandes proporções, afetando direta e indiretamente a população.

Além disso, é muito difícil rastrear o autor de um ataque desses, o que dificulta a responsabilização e até mesmo negociações.

Guerra Cibernética na Atualidade

Um dos casos mais famosos é o escândalo de espionagem dos Estados Unidos, revelado em 2013 por Edward Snowden. Investigações apontaram que o governo americano estava espionando seus cidadãos, empresas, instituições e governos estrangeiros.

Em 2007, o sistema de defesa da Síria foi neutralizado completamente, com isso a aviação israelense pode bombardear as instalações do reator nuclear em Damasco. No mesmo ano, a Rússia realizou um ataque ao sistema bancário da Estônia, congestionando-o e impossibilitando o uso de caixas eletrônicos, agências e redes de cartões de crédito. Em 2010, o Irã foi vítima de um malware, chamado Stuxnet, programado para danificar as centrífugas utilizadas para enriquecer urânio, em unidade nuclear de Natanz.

A prevenção a ataques é a principal estratégia a ser trabalhada no momento. Para isso, conta-se com a evolução dos softwares de defesa, como bons antivírus, firewalls e outros.

Imagens: Silicon UK e Before It’s News.