LIVE-ACTION | Fullmetal Alchemist

por em 26 de fevereiro de 2018
 

Alô joviais! No mês de fevereiro de 2018, a Netflix lançou o live-action do anime Fullmetal Alchemist. Para a maior parte dos fãs de animação, uma das maiores realizações que se tem é a ideia da humanização dos personagens, do cenário etc, é algo bastante empolgante mas o resultado, na maior parte, fica a desejar. 

Sobre a história:

Fullmetal Alchemist foi criado em 2001 com uma temática pós revolução industrial europeia, situado em um universo fictício em que a alquimia é a mais avançada tecnologia e mais desejada pelo homem. O enredo conta sobre os irmãos Edward Elric e Alphonse Elric, que buscam a pedra filosofal para recuperar seus corpos após uma tentativa de ressuscitar a falecida mãe por meio de alquimia.

Por ser uma adaptação feito pelos japoneses, a história está incrivelmente fiel ao anime. Mas por ser uma história complexa, era quase impossível acrescentar todos os personagens e seguir tão acirradamente a narrativa do desenho, tendo que adaptar para fechar a história de forma redonda.

O ritmo do filme foi o detalhe que mais incomodou, seguindo a primeira temporada fielmente mas dando um pulo desgraçado até a última temporada do anime, deixando de lado informações preciosas, como, por exemplo, um maior desenvolvimento do Alphonse, que é a chave para o enredo.

Sobre o visual:

Todos os personagens estão bem caracterizados, não deixaram a desejar nesse aspecto, seguindo igual ao anime (menos o cabelo da Winry, mas isso foi um detalhe que não me incomodou). A atuação tá de parabéns, lembrando que os japoneses dramatizam. Para quem não está acostumado com atuação do oriente, isso pode vir a incomodar. O filme foi filmado na Itália, as cenas ao ar livre estão lindíssimas. Mas os efeitos especiais… essa parte pecou um pouco.

Por ter produção da Warner, é natural que a gente espere um pouco mais de qualidade. A ideia e os efeitos estão legais mas parece que não passou por uma finalização adequada, deixando tudo muito duro. Mas por não ir às telonas do cinema e ser um live-action, a gente não cobra tanto e assiste feliz.

O filme agrada e sua missão foi bem sucedida. São duas horas bem utilizadas do seu dia. Por deixar o final aberto a possibilidades e gerar curiosidade, é possível que tenha atraído público para assistir o anime, dando um hype, já que também está disponível pela Netflix (vejam o Brotherhood, que é mais fiel ao mangá).