Livros
0comentários

“Nem tudo será esquecido” de Wendy Walker

por em 17 de Janeiro de 2017
Detalhes
 
Lançado em

2016

Nome original

All is not forgotten

Positivos

- Personagens intrigantes;
- Explora as histórias e os aspectos psicológicos dos personagens;
- Suspense psicológico.

Negativos

- Descrição pesada do estupro;
- Ao tentar manter o suspense, acaba sendo um pouco maçante.

Avaliação do Editor
Pontuação Total

Deslizar para avaliar
Avaliação do Usuário
Pontuação do Usuário

You have rated this

Sinopse
 

Um dos suspenses psicológicos mais elogiados nos Estados Unidos.
Tudo parece perfeito na pequena Fairview, em Connecticut, até a noite em que a adolescente Jenny Kramer é violentada durante uma festa. Nas horas posteriores, ela é medicada com uma droga controversa para que as memórias da violência sejam apagadas. Mas, nas semanas que se seguem, enquanto se cura das dores físicas, Jenny percebe que guardou nuances daquela noite. O pai, obcecado por sua incapacidade de descobrir quem abusou de sua filha, busca justiça, enquanto a mãe tenta fazer de conta de que o crime não abalou seu mundo cuidadosamente construído. Segredos da família e do círculo próximo começam a vir à tona durante a busca incessante pelo monstro que invadiu a comunidade – ou que talvez sempre tenha estado lá –, guiando este thriller psicológico para um fim chocante e inesperado.

 

Olá Geeks! Aqui é Becky. Gostariam de frisar que essa resenha crítica não foi escrita por euzinha aqui, e sim pela incrível Rebeca Noleto. Ela é jornalista, e membro do fã clube de Harry Potter “Somos a Ordem” junto comigo, onde ambas somos da casa de Sonserina. E depois dessa breve introdução, se deleitem!

Rebeca mostrando toda a sua beleza e a capa do livro <3

Jenny Kramer é uma adolescente comum vivendo na pequena e perfeita Fairview, em Connecticut. Como muitas garotas da sua idade, ela está ansiosa pelo seu primeiro encontro, que irá acontecer durante uma festa na casa de um colega de escola. Essa ia ser a “melhor noite de sua vida”. Ela não sabia o quanto estava enganada. Após encontrar o paquera com outra garota, Jenny resolve afogar sua decepção amorosa no álcool, chegando a passar mal e, em seguida, correndo envergonhada para a mata nas proximidades do local, onde acaba sendo estuprada.

Quando descobre que a filha foi violentada, Charlotte Kramer opta pela administração de um tratamento com droga controversa que fará a garota esquecer tudo que ocorreu na floresta naquela noite. Já Tom, o pai, é contrário ao procedimento, pois acredita que mantendo a memória da jovem, ela poderá ajudar a encontrar o culpado. Ele, porém, cede à vontade da esposa. A partir desse momento em que Charlotte busca manter as aparências perante a sociedade e Tom inicia uma busca interminável pelo culpado, vários segredos envolvendo a família Kramer e outros moradores de Fairview vêm à tona para o leitor, inclusive histórias pessoais e profissionais do psiquiatra Alan Forrester, que passa a atender Jenny após complicações psicológicas decorrentes do apagamento da memória do crime.

Narrado em primeira pessoa por Alan, o livro conta em detalhes meticulosos o que acontece com a jovem Jenny e relata o acompanhamento que fez com ela, seus pais e outros pacientes, entre eles alguns presos mentalmente doentes, reproduzindo trechos de depoimentos desses personagens. Alan também relata e questiona as consequências trazidas pelo tratamento aplicado em Jenny, não só para ela e seus pais, mas para toda a comunidade de Fairview.

Por ser um livro de suspense (ou thriller, como queiram), Wendy Walker produz uma narrativa não linear, indo de um ponto da história para outro e voltando, algumas vezes encaixando outros relatos  no meio, parecendo que o narrador está em constante divagação, perdido em seus próprios pensamentos. A autora também encerra diversos capítulos do livro com os personagens prontos para executar uma ação que, de fato, só será mencionada capítulos depois. Isso atiça a curiosidade do leitor mais curioso, que quer uma resposta, uma justificativa, porém chega a ser um pouco maçante, exigindo uma leitura concentrada. Eu, particularmente, sempre que estava lendo e era interrompida por alguma coisa, tinha que voltar diversas páginas para saber sobre quem o narrador-personagem estava falando.

Para mim, esse também foi um problema: muitos personagens, muitos tratamentos psiquiátricos, fora o de Jenny Kramer. Apesar de todos serem esmiuçados na narrativa a partir do momento que todos os problemas pessoais e psicológicos deles são apresentados ao leitor, chegou um momento em que eu não sabia o que tinha acontecido com quem, confundindo os pacientes de Alan e tendo que voltar CAPÍTULOS para esclarecer tudo. E acredite, esses personagens não são irrelevantes. Eles são de grande importância para a história, então, fiquem atentos!

Mesmo com todas essas “dificuldades” que enfrentei (esse pode não ser o caso para você), a história ainda assim prende sua atenção, porque o leitor não deixa de imaginar “por que isso aconteceu?”, “quem pode ter feito isso em uma cidade tão pequena?”. É um livro de investigação tanto policial, quanto psicológica, na qual o médico irá tentar reverter o tratamento administrado na jovem Jenny Kramer e descobrir o verdadeiro culpado.

Nem tudo será esquecido” foi selecionado pela Amazon como um dos dez melhores livros de junho de 2016 e teve os direitos cinematográficos adquiridos pela produtora da atriz Reese Witherspoon, devendo chegar às salas de cinemas em 2017.