Impressões da nova temporada de Sense8

por em 23 de Maio de 2017
 

No último dia 5 de maio, a Netflix disponibilizou a segunda temporada completa de Sense8. Depois de 2 anos de espera, os fãs – que apenas tiveram um gostinho do retorno no especial de Natal exibido em dezembro do ano passado para acalmar a ansiedade (mas que mais colaborou para aflorá-la novamente) – tiveram uma overdose de Sense8, com todos os 11 episódios da nova temporada liberados de uma só vez, assim como é feito com diversas outras séries da plataforma de streaming.

A série original Netflix, que estourou no seu lançamento em 2015, mal acabou de voltar para a segunda temporada e já está sendo cotada para a próxima. Para o desespero dos fãs, sua renovação ainda não foi confirmada, mas existem boatos de que a terceira já está sendo escrita e pode ser a última!

Idealizada pelas mesmas mentes brilhantes por trás da trilogia Matrix,  Lilly e Lana Wachowski, Sense8 conta a história de oito pessoas: Will, Sun, Riley, Capheus, Kala, Wolfgang, Nomi e Lito. Eles são de diferentes partes do mundo e estão conectados telepaticamente.

Esse elo psicológico não consiste apenas de vozes nas cabeças uns dos outros, mas eles podem se ver, sentir o que seu semelhante está experienciando no momento e até tomar frente na hora de agir.

Se na primeira temporada tivemos a apresentação dos oito protagonistas e uma pequena introdução da vida desses personagens, na segunda vemos um avanço da trama em si. A história central vai sendo cada vez mais desenvolvida e explicada, ao mesmo tempo em que vemos o desenrolar dos dramas pessoais de cada membro do cluster.

Fonte: Wikimedia

O interessante é que esses conflitos da vida particular de cada um estão se tornando aos poucos problemas do grupo, cujos membros mais e mais começam a se envolver na rotina um do outro e a se ajudar mutuamente. Esse impulso de proteção, em que cada personagem necessitado recebe a visita daquelas cujas habilidades lhe são úteis ou completam no momento – ou de todos quando a situação é mais crítica e demanda união global – cresce a cada episódio.

Parece que o instinto de sobrevivência de um indivíduo se transforma no de oito, e todos se tornam uma unidade colaborativa que, com trabalho em equipe, consegue superar os obstáculos que se impõe para cada núcleo, seja fazer um discurso público arrebatador, ou participar de uma perseguição de vida ou morte, os sensates sabem que podem contar uns com os outros.

Fonte: Wikimedia

Por outro lado, nessa nova temporada o escopo do cluster que conhecemos também aumenta um pouco: somos apresentados a novos sensates e vemos que os 8 protagonistas não são parte de um grupo exclusivo, mas sim membros de uma espécie diferente, chamada homo sensorium, que está disseminada amplamente por todo o mundo.

Além das descobertas e explanações sobre o que eles realmente são, este segundo ato retoma a trama da perseguição feita pela BPO (Biological Preservation Organization). Então acompanhamos a fuga, e posteriormente luta, dos personagens contra o intragável Sussurro (Whispers no original) – especialmente de Will, que possui uma ligação direta com o antagonista, e de Riley, consequentemente, já que ela o acompanha e tem a tarefa de garantir o bloqueio de “visitas” indesejáveis;

Inclusive, grande parte da ação desta temporada acontece em Londres, onde Will e Riley construíram um novo reduto em um prédio abandonado para ficar mais perto do vilão após descoberto seu paradeiro. Mas a medida que eles descobrem novos sensates, Will e Riley acabam tendo que derrubar seu esconderijo para conquistar a confiança e, assim, apoio de seus iguais, o que vemos na cena em que Riley sai para o telhado, permitindo que um outro membro de sua espécie veja a cidade em que estão encobertos – altamente reconhecível por seus famosos pontos de referência e atrações únicas. A partir daí eles conseguem acesso a uma rede chamada Arquipélago, algo semelhante a um “Google” dos sensates, que os ajuda a aprender mais sobre aqueles que os estão perseguindo.

Fonte: Wikimedia

Apesar de todo o drama, ao longo desta temporada tivemos diversos momentos não só de esclarecimentos sobre a trama central e mitologia da série, mas também de muito – e um novo – romance, ação (encabeçada na maior parte por Sun e suas cenas de luta destruidoras) perdas, dor, e cenas bastante divertidas. Desta vez o alívio cômico está menos em Capheus – que ganhou um fardo maior ao se tornar candidato político – e mais em Lito.

E assim, segue a segunda temporada de Sense8, com uma fotografia incrível e um roteiro que continua envolvente! Não vamos dar mais detalhes da trama para evitar spoiler aos que ainda não assistiram. Você deve ver por si mesmo e tirar suas próprias conclusões, mas já adiantamos que pode esperar muitas emoções e reviravoltas no último episódio, então quem acompanhou a primeira temporada e ainda não conferiu essa, corre para a TV!