How to Escape the Room: Dicas de um Jogador Experiente

por em 23 de fevereiro de 2016
 

Um jogador que já participou de mais de 100 salas tem muito o que dizer sobre Escape Rooms. Conversei com Errol, um canadense viciado no jogo. Além de muitas dicas, Errol tem uma visão interessante sobre como escolher o seu time, um tema que ainda não havia explorado aqui no blog. Aqui vão algumas das suas dicas e das minhas também:




  • Reconheça suas fraquezas: nosso amigo canadense reconhece que seus pontos fracos são observação, matemática e memória. Por outro lado, ele tem boa performance em reconhecimento de padrões, correlação e simplificação. O segredo é encontrar pessoas para o time que tenham capacidades complementares. Isso leva a um segundo aspecto…
  • Diversidade: Os demais jogadores no seu time não deveriam pensar como você. Convide para jogar aqueles amigos que conseguem resolver um enigma que você não conseguiu. Procure aqueles que pensam “fora da caixa”, mas para ser mais específico, procure aqueles que pensam “fora da sua caixa”…
  • Habilidades úteis: montamos uma lista contendo algumas habilidades úteis para jogadores de Escape Room. Note que nem em todas as salas você precisará dessas habilidades.
  1. Procurar itens escondidos – Algumas salas escondem itens muito bem, às vezes, bem demais.
  2. Observação e discernimento – Este objeto é uma pista? Ou é apenas um red herring?
  3. Correlação – Alguém capaz de relacionar as pistas ao enigma correto, o que algumas vezes requer um pulo de lógica.
  4. Memorização – Habilidade de memorizar sequência de números ou símbolos.
  5. Matemática – Sim, muitas salas usam números e operações. Às vezes sem papel. Álgebra com formas também é bem comum.
  6. Vocabulário – Jogos com palavras também são muito utilizados.
  7. Reconhecimento de padrões – capacidade de enxergar um padrão no meio do caos;
  8. Simplificação (compartmentalization) – Salas não lineares podem ser extremamente complexas. Alguém que seja capaz de separar uma sala complexa em diversas menores é muito útil nesses casos;
  9. Visão do todo (Overseer) – Mais uma vez falando em salas não lineares, é muito difícil entender por onde começar. A pessoa que tem capacidade de visualizar o todo consegue entender melhor como os enigmas se desencadearão e qual deve ser o caminho a ser seguido. Além disso, precisa ser um bom líder para guiar o time.

E você, como escolhe seu time?

Para mais dicas do Errol, acesse:

http://thecodex.ca/2015/05/29/expert-tips-how-to-solve-escape-rooms/