Filmes
Filme Pipoca
0comentários

Crítica Power Rangers (2017)

por em 20 de março de 2017
Detalhes
 
Ano de lançamento

2017

Título original

Power Rangers

Duração

124 minutos

Roteiro

John Gatins

Avaliação do Editor
Pontuação Total

Deslizar para avaliar
Avaliação do Usuário
Pontuação do Usuário

You have rated this

 

O reboot de uma das franquias de maior sucesso da TV norte-americana, Power Rangers tinha tudo para dar errado. Felizmente, não foi o caso.

ATENÇÃO! ESTE TEXTO CONTÉM SPOILERS

Power Rangers




Elenco

Baseado na franquia iniciada em 1993 e que está na ativa até hoje, o filme Power Rangers em nada lembra sua origem. A começar pela escalação, trazendo novos atores de etnias diferentes das dos anteriores. Escalar cinco atores novatos para os papéis principais foi uma decisão muito acertada, pois manteve o suspense e não nos fez duvidar da capacidade de atuação.

A primeira a ser divulgada, Naomi Scott, foi muito bem recebida pelo público e ganhou a benção de sua antecessora, Amy Jo Johnson. Logo após ela, R. J. Cyler, Ludi Lin e Dacre Montgomery foram anunciados como os novos Rangers Azul, Preto e Vermelho. Por fim, foi a vez da rapper Becky G ter seu nome associado ao elenco.

As primeiras polêmicas surgiram aí, com um Ranger azul negro, um ranger preto oriental e uma ranger amarela latina. Polêmica até engraçada, pois na escalação de 1993, os personagens seguiriam essas etnias desde o início. Inclusive, David Yost (o Billy da série original) e Walter Jones (o Zack) chegaram a comentar sobre o processo de escalação e como foram originalmente contratados para serem os Rangers Vermelho e Azul, respectivamente.

Mudanças nos personagens à parte, os nomes mais conhecidos foram sendo anunciados, com Elizabeth Banks, Bryan Cranston e Bill Hader encarnando a vilã Rita, o mentor Zordon e o robô Alpha 5.

Power Rangers

Expectativas

Todos os olhos estavam voltados para os novatos, se eles fariam um bom trabalho, mas a Lionsgate não deixava nada vazar. Aos poucos fomos nos familiarizando com os atores, seus jeitos e começando a gostar deles. Pessoalmente, conhecer quatro deles na CCXP 2016 foi o ápice do evento para mim.

Com os intérpretes caindo nas graças do público, o foco passou a ficar em outros dois pontos: o uniforme e os zords. A prévia dos uniformes não foi das mais agradáveis, o visual futurista em nada lembrava o spandex clássico ao qual nos acostumamos durante nossa infância. O mesmo pode-se dizer sobre os zords. No entanto, o carinho da Lionsgate com o filme fez com que todos aguardassem ansiosamente.

A espera valeu a pena! Com trailers que contavam mais sobre o filme sem no entanto revelar o enredo, a produtora lidou muito bem com a fanbase (uma das mais fanáticas atualmente).

A história

O filme começa confirmando uma grande teoria. Rita Repulsa era a ranger Verde e se rebelou contra os companheiros, matando-os para tentar conquistar o Cristal ZEO. Também é contado que Zordon foi o primeiro Ranger Vermelho e o responsável por esconder as moedas do poder.

Corta para alguns 65 milhões de anos depois e conhecemos nosso primeiro protagonista, Jason Scott (Dacre Montgomery). Sabemos que ele tentou pregar uma peça que não deu certo e acabou na detenção. Lá ele conhece Billy Cranston (R. J. Cyler) e Kimberly Hart (Naomi Scott). O que poderia ser um grande erro, lembrando muito Clube dos Cinco, acaba não sendo de todo ruim, pois dá uma visão diferente dos personagens. Um dos acertos do roteiro é justamente essa não-amizade inicial dos personagens, algo que serve até como empecilho para a transformação completa dos guerreiros.

Power Rangers

Ao defender Billy de um valentão, Jason acaba ganhando a amizade do garoto autista e o leva para a pedreira, onde encontra Kim. Já na companhia de Zack (Ludi Lin) e Trini (Becky G), acham as moedas do poder. Ao se ligarem a elas, acabam ganhando superpoderes como a habilidade de saltar casas e desfiladeiros além de super força.

Ao retornarem à pedreira, acabam descobrindo o centro de comando e o que essas mudanças significam. Por não serem amigos, eles precisam se unir para poderem despertar o grande poder de suas armaduras e zords. Uma tarefa que quase lhes custa a vida de um dos membros. As cenas de lutas são muito empolgantes! As tiradas são realmente engraçadas e é impossível não se pegar torcendo para que eles se unam para derrotar a vilã e seu monstro feito de ouro, Goldar!

Entrando no assunto vilã: Elizabeth Banks tem um tom exagerado, mas nada que atrapalhe o fluxo da narrativa. As outras atuações foram muito boas, mas o grande destaque é mesmo Billy. O desenvolvimento do personagem é notório e acaba sendo a linha mestra que guia o roteiro.

Power Rangers

Curiosidades

  • Frases célebres como “It’s morphing time” e “Make my monster grow” são usadas!
  • Go Go Power Rangers” é tocada, em sua versão do filme de 1996, conduzida pela Power Rangers Orchestra.
  • Dois atores do elenco “original” aparecem em pontas sem fala, em mais um presente para os fãs da velha guarda.
  • Existe uma cena pós-créditos, deixando um gancho para uma continuação.

Conclusão

O filme é uma grande introdução e mostra as intenções da Lionsgate em iniciar uma nova série de filmes. No entanto, fãs do original ficarão deveras satisfeitos também, especialmente com os Easter eggs colocados especialmente para eles.

Trailer




Power Rangers

Direção: Dean Israelite
Elenco: Dacre Montgomery, Naomi Scott, Ludi Lin, R. J. Cyler, Becky G, Bryan Cranston, Elizabeth Banks, Bill Hader
Estreia: 23 de março de 2017
Site oficial: http://www.powerrangers.movie/
Pôster oficial: Clique aqui!