Filmes
0comentários

Crítica: O Poderoso Chefinho

por em 29 de março de 2017
Detalhes
 
Gênero
Ano de lançamento

2017

Título original

The Baby Boss

Duração

97min

Positivos

-Divertido
-Boas referências
-Boa história
-Boa mensagem para as crianças

Avaliação do Editor
Pontuação Total

Deslizar para avaliar
Avaliação do Usuário
Pontuação do Usuário

You have rated this

 

Depois de encantar o mundo com Toy Story, Kung Fu Panda, Madagascar entre outros muitos títulos, a próxima jogada da DreamWorks é O Poderoso Chefinho.

A nova aposta da DreamWorks conta com fofura, visual incrível, fofura, história emocionante, fofura, muito bom humor e, não sei se já mencionei, fofura também.

Temos aqui a história de Tim, filho único e único alvo da atenção dos pais. Tim é uma criança cheia de imaginação e fantasia as mais fantásticas aventuras juntamente com seus pais. Em um dia é um pirata, em outro um caçador de tesouros, em outro um astronauta. Até que um dia ele ganha um irmãozinho.

A boa e velha rivalidade entre irmãos..

Só para deixar claro, os bebês são entregues pela BabyCorp (claro, de onde você achava que vinham? Das cegonhas? puff.. Por favor, né?) onde as crianças são criadas e testadas. Nosso pequeno protagonista, em seu teste, se mostrou diferente. O que o cedeu um cargo de chefia dentro da BabyCorp. E agora ele tem uma missão. Uma missão cujo fracasso poderá destruir o equilíbrio do amor no mundo e transformá-lo para sempre.

A história demonstra de forma muito divertida e envolvente a resistência de uma criança em ganhar um novo irmão e ter que dividir a atenção dos pais, bem como a transformação desse relacionamento, e essa é uma mensagem belíssima (desconfio muito que boa parte das crianças irá sair da sessão pedindo um irmãozinho..)

Sério, como não fazer um “ownt” com esse carinha?

Fora a mensagem cute-cute, temos um filme bem engraçado, trazendo referências de todos os lados. Indiana Jones, diversos filmes de espionagem, Piratas do Caribe, Moby Dick entre muitos outros filmes. Nem a obra de Tolkien deixou de ser citada. Mas não se iludam, o filme não traz nada de O Poderoso Chefão. Creio que este tenha sido uma coincidência de tradução (o que, vendo o título em inglês, é facilmente perceptível).

Além de engraçado, com uma bela história, o filme também é belíssimo. A animação é fantástica (algo já esperado da DreamWorks). Os detalhes do Chefinho impressionam. O modo como ele movimenta as mãos, os detalhes na roupa, nos acessórios, na expressão facial. Mas eles foram além disso. Como mencionei, Tim é bastante criativo. E na imaginação dele o mundo é diferente. Os esquemas de cores e os traços da animação mudam drasticamente de acordo com sua fantasia. Um show de criatividade e qualidade.

Sem dúvidas um excelente programa para a família toda.