Filmes
1comentário

Crítica: O Contador

por em 20 de outubro de 2016
Detalhes
 
Ano de lançamento

2016

Título original

The Accountant

Duração

128 minutos

Roteiro

Bill Dubuque

Positivos

- Colocar um autista de alto funcionamento como protagonista de um filme
- É divertido
- Retrospectivas bem detalhadas
- Atuação de Ben Affleck

Avaliação do Editor
Pontuação Total

Deslizar para avaliar
Avaliação do Usuário
Pontuação do Usuário

You have rated this

 

Em “O Contador” (The Accountant), Ben Affleck volta às telas do cinema estrelando no papel de Christian Wolff, um portador da Síndrome de Savant (também chamada de Síndrome do Sábio), que faz com que ele tenha muito talento para lidar com os números e pouco talento para lidar com pessoas.

o-contador-poster

Com estreia marcada para hoje, 20 de outubro de 2016, o longa-metragem dirigido por Gavin O’Connor conta ainda no elenco com Anna Kendrick (Dana Cummings), J.K. Simmons (Ray King), Jon Bernthal (“O Assassino”), Jean Smart (Rita Blackburn), Cynthia Addai-Robinson (Marybeth Medina), Jeffrey Tambor (Francis Silverberg), John Lithgow (Lamar Blackburn) e Andy Umberger (Ed Chilton), Alisson Wright (Justine) e Robert C. Treveiler (pai de Christian).

Por conta de suas habilidades cognitivas avançadas, o pequeno Christian foi visitado pelo diretor do Instituto Harbor de Neurociência e sua filha muda Justine. Nesta visita, o diretor ofereceu aos pais de Christian que ele morasse no instituto para que ele pudesse trabalhar com ele e ajudá-lo a desenvolver as habilidades necessárias para ter uma vida plena. Contudo, o pai de Christian, oficial militar condecorado, recusou a oferta por acreditar que ele deveria ultrapassar os obstáculos criados por sua condição vivendo no “mundo real”.

Por conta da pressão em criar o filho com necessidades especiais e da recusa em deixar Christian viver no instituto, sua mãe abandona seu irmão Braxton e ele, deixando-os aos cuidados de seu pai. A partir daí, Christian começa a morar em um lugar diferente aproximadamente a cada seis meses, totalizando 34 cidades em 17 anos. Durante esse período de mudanças, o pai de Christian coloca seu irmão e ele para treinar artes marciais e tiro, como forma de prepará-los para para a vida.

Quando adulto, por conta de sua habilidade com números, Christian se torna contador, possui um escritório de contabilidade em uma pequena cidade como fachada e trabalha como autônomo para algumas das mais perigosas organizações criminosas do mundo. Por conta disso, ele acaba chamando a atenção do Departamento Criminal do Ministério da Fazenda norte-americano, colocando-o na mira de seu coordenador Ray King. Tendo em vista a sua iminente aposentadoria, King recruta a jovem analista Marybeth Medina para identificar e prender “O Contador”, ameaçando expor seus antecedentes criminais caso ela se recusasse a trabalhar no caso. Ele mostra para ela as pistas que possui sobre Christian como os nomes falsos que ele utiliza (baseados em grandes matemáticos da história), fotos dele se encontrando com diversos criminosos ao redor do mundo e uma gravação de um tiroteio onde um grande número de membros da gangue da família Gambino foram mortos.

o-contador-2

Para despistar King, “A Voz” – uma misteriosa figura que apenas entra em contato com ele por telefone e faz a intermediação com seus clientes – arranja um trabalho legal como consultor financeiro da Live Robotics, empresa de robótica e fabricação de próteses, onde Wolff ficaria responsável por uma auditoria nas contas da empresa depois da descoberta de discrepâncias realizada por Dana Cummings, contadora da empresa. Eles trabalham juntos e descobrem um desvio na casa de 61 milhões de dólares.

o-contador-1

Por conta da descoberta, Christian e Dana viram alvos de assassinato, fazendo com que eles tenham que se esconder. Durante o período que passam escondidos, eles ainda descobrem que o dinheiro desviado foi reinvestido na empresa, fazendo com que a cotação das ações da empresa subisse de valor.

o-contador-3

Nesse meio tempo, Medina descobre a identidade de Wolff através da gravação do tiroteio e de seus diversos nomes falsos e começa a fechar o cerco sobre ele.

Crítica

Apesar de ser um filme de ação e suspense, o filme traz uma história de superação do protagonista que, mesmo não tendo recebido o tratamento adequado pela recusa de seu pai e tendo sido abandonado quando criança pela mãe, consegue ter uma vida relativamente normal (se é que é possível se dizer isso de um contador forense que trabalha para as organizações criminosas de todo mundo). O simples fato de trazer um protagonista que tem que lidar com um distúrbio desta magnitude, já é um ponto positivo do filme.

A rotina restrita e metódica do personagem e a sua falta de habilidade em lidar com pessoas, em contraste com a sua grande habilidade em lidar com os números, trazem aos expectadores momentos de diversão. Com a presença de Dana, Chris parece ir se soltando aos poucos.

O filme faz uma boa apresentação e ambientação do protagonista, provavelmente para fazer com que os expectadores tenham uma empatia com ele. Além disso, o diretor optou por utilizar uma narrativa não linear que funciona muito bem, casando a tempo atual com as retrospectivas bem detalhadas de sua vida.

A performance de Ben Affleck no filme merece ser elogiada. Ele conseguiu fazer com que o pânico do personagem em se relacionar com outras pessoas fosse percebida mesmo por baixo de uma expressão pálida e fria.




  • Camila

    Foi a melhor entregas que vimos em 2016. O’Connor grande liderança é observado, o roteiro e o desempenho de Ben Affleck, Ben Affleck, que vimos pela última vez em Batman vs. Superman (http://br.hbomax.tv/movie/TTL607702/Batman-Vs-Superman-A-Origem-Da-Justica). Eu acho que é por isso que o próprio ator desdobrou tão bem nas cenas de ação, já tinha muita prática com este filme. By the way, outra coisa que eu gostei sobre este filme foi que falar da síndrome de Asperger, eu encontrei um plus. Este filme será amado por todos aqueles que amam filmes de ação.