Filmes
0comentários

Crítica: Cadáver (2018)

por em 9 de dezembro de 2018
Detalhes
 
Ano de lançamento

2018

Título original

The Possession of Hannah Grace

Duração

1h25min

Roteiro

Brian Sieve

Positivos

Visual envolvente, trilha sonora boa

Negativos

Roteiro raso, preconceitos contra doenças psicoafetivas

Avaliação do Editor
Pontuação Total

Deslizar para avaliar
Avaliação do Usuário
Pontuação do Usuário

You have rated this

 

À primeira vista, Cadáver surgiu como uma esperança de mudança em meio a uma onda de filmes de terror com o intuito de dar sustos na platéia. Protagonizado por Shay Mitchell (Pretty Little Liars), o filme conta a história de uma funcionária do necrotério e as coisas estranhas que acontecem quando um cadáver chega.

O trailer nos empolga bastante, seu visual chama a atenção. Sem contar, é claro, com o fato de a atuação de Kirby Johnson se destacar. No entanto, ao assistir o filme, as decepções começam.

O filme

Somos apresentados às protagonistas. Primeiro, Hannah, em seu suspiro final durante um exorcismo. Depois conhecemos Megan, uma ex-policial, que após um trauma pessoal, tornou-se alcoólatra e dependente de remédios controlados. Necessitando de um emprego, aceita trabalhar no turno noturno de um necrotério. Em sua primeira semana, recebe o corpo de Hannah e é quando as coisas começam a acontecer. Sem perceber, Megan acaba trazendo mais e mais vítimas para Hannah.

Problemas

Ao assistirmos o trailer, o filme nos passa a impressão de ser algo diferente do arroz com feijão de sempre. E mesmo que não correspondesse a isso, não teria problemas. Estaria tudo bem se Cadáver fosse somente mais um filme de terror como os atuais, limitando-se a ter uma história rasa e a dar sustos. No entanto, ele presta um desserviço a todos que possuem algum tipo de doença psicoafetiva, como depressão ou ansiedade, ao demonizar as doenças e declará-las responsáveis pela possessão de Hannah. Ao falar isso, Cadáver contribui para o estigma e para o preconceito existente na sociedade atual, que trata pessoas com doenças psicológicas como loucas. Chega até mesmo a ser ofensivo para quem está assistindo.

Ademais, as atuações também são um problema. Se Kirby Johnson merece todos os louros por sua atuação, o mesmo não se pode dizer do resto do elenco. Shay Mitchell está dura no papel, inexpressiva. E até mesmo a favorita de muitos, Stana Katic, acaba se apagando com uma personagem tão mal desenvolvida.

Em suma, para pessoas que querem somente tomar bons sustos, talvez o filme sirva. Mas para quem gosta de terror, ele fica devendo em muitas coisas.

Cadáver

Título original: The Possession of Hannah Grace
Elenco: Shay Mitchell, Kirby Johnson, Stana Katic, Grey Damon
Diretor: Diederik Van Rooijen
Estreia em 29 de novembro de 2018.
Trailer disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=LIV4-u8P8Pk