Cozinha Geek
0comentários

Os vinhos do Rei do Crime

por em 16 de junho de 2015
 

Os fãs da série exclusiva do Netflix em parceria com a Marvel, O Demolidor, já perceberam que o Rei do Crime é um vilão de muito bom gosto quando se trata de gastronomia e vinhos.

Durante a série, em seus jantares, é de se notar que ele está sempre com uma taça em mãos. No 5° capítulo ele menciona inclusive um vinho tinto muito fino e caro, pela sua denominação e principalmente pelo ano de sua safra: Um Brunello di Montalcino de 1975.

vinhos do rei do crime

O Soul Geek consultou a VinhosOnline.com, uma loja virtual de vinhos que procura descomplicar o mundo dos vinhos, que nos prestou consultoria através de sua equipe de Sommeliers para contar para vocês mais sobre os vinhos Brunello.

SGK: De onde são os vinhos Brunello, como são feitos e qual o seu preço?

VinhosOnline.com: Brunello é um tipo de vinho de denominação controlada (DOCG – Denominação de Origem Controlada e Garantida) produzido no sul da região de Toscana, na Itália. A partir vinificação da uva Sangiovese Grosso, uma variação da uva Sangiovese, o Brunello é um dos tipos de vinhos de denominação controlada mais famosos e caros da Itália. Em sua produção, além da obrigação de serem usadas apenas uvas Sangiovese, os Brunello têm de amadurecer por pelo menos 2 anos em barris de carvalho e depois pelo menos 4 meses em garrafa antes de ser colocado à venda, e só podem ser comercializados 5 anos após a colheita da safra.

E são justamente os elementos acima que fazem dele um vinho caro, ter uma limitação de produção, além do tempo que ele precisa ficar descansando nos barris e o tempo que tem que esperar para a comercialização. Imaginem: você colhe hoje para poder vender somente daqui há 5 anos, o custo de produção aumenta bastante, não? Quanto maior o seu tempo de guarda, ou quanto mais antiga sua safra, mais caro fica o vinho, ainda existem as safras excepcionais ou safras épicas, ou seja, safras que o tempo e fruta deram o máximo de suas expressões, que o tornam ainda mais caros, que é o caso de 1975.

Um Brunello di Montalcino de 1975 hoje se avalia na faixa de 500 a 1000 Euros dependendo da marca e fama do produtor ou da vinícola. Um pouco dispendioso, mas compensa cada gole.

SGK: Existem vinhos semelhantes, da mesma região ou feitos da mesma uva que tenham preços mais amigáveis?

VinhosOnline.com: Falando de vinhos da Toscana, feitos da uva Sangiovese ou de clones dela, podemos encontrar com maior facilidade por aqui e por preços mais dentro de nossa realidade os Chianti, os Rosso, e os Vino Nobile di Montepulciano.

Estes são vinhos de denominação controlada também, mas não possuem as mesmas exigências que os Brunello possuem. Os Chianti por exemplo, muitas vezes não são feitos 100% das uvas Sangiovese, normalmente eles são vinificados a partir de um blend ou assemblage (mistura) da Sangiovese com Colorino e Canaiolo, mas também comumente Cabernet Sauvignon e/ou Merlot. Os Rosso também são feitos de assemblages da Sangiovese com outra uva, possuindo uma porcentagem um pouco maior de Sangiovese que os Chianti. Já os Vino Nobile di Montepulciano são em sua maioria feitos com 100% de Sangiovese assim como os Brunello, porém eles não passam tanto tempo em barris além de serem de partes diferentes da Toscana.




SGK: E qual a diferença no paladar? Que tipo de pratos eles podem acompanhar?

VinhosOnline.com: Bem, enquanto o Brunello têm maior complexidade, maior concentração de taninos e mais corpo, o Chianti e Rosso são vinhos mais jovens despretensiosos e leves, já o Vino Nobile seria um intermediário entre eles.

Quanto à harmonização com pratos, os vinhos toscanos são super potentes, então quanto mais potentes (lê-se saborosos e gordurosos) forem os pratos, melhor. Apesar de potentes, todos esses vinhos são bastante versáteis, combinando muito bem com massas, carnes vermelhas, queijos curados, salames e embutidos.

  chianti rosso vino-nobile

E aí, ficou com vontade de provar um vinho bom desses? Você pode encontra-los lá no site da VinhosOnline.com.

Já provou algum desses vinhos? Nos conte então o que achou deles.