10 inovações de jogos que estiveram a frente de seu tempo

por em 24 de Janeiro de 2015
 

A industria de jogos eletrônicos vive um processo constante de evolução e inovação desde seus primórdios, e isso é essencial para sua sobrevivência, pois quem inova consegue o topo do mercado e acaba ditando as tendências, e esse é o sonho de toda grande companhia em todos os mercados, mas o mercado dos videogames tem algo especial que o diferencia do restante: criatividade sem limites.

Pra quem é gamer heroico, da primeira geração, deve se lembrar, ou ter ouvido algo sobre o Magnavox Odyssey 100, primeiro console a ser vendido, que vinha com placas de acetato coloridas (folhas de plástico) que simulavam o campo do jogo e tinham que ser colocadas na TV pra jogar, nem marcava o placar, mas olha a felicidade do pessoal ai na foto.

Nem pra marcar o placar Odyssey?!

Nem pra marcar o placar Odyssey?!

Com o anuncio do Microsoft HoloLens nesta quarta-feira (21), que rendeu um belo artigo no Vida de Gamer, a comunidade gamer ficou animada como eu nunca tinha visto. É quase impossível ver aquilo e não lembrar de filmes de ficção científica como: De volta para o Futuro, Homem de Ferro e etc.

Primeiro HoloLens

Primeiro HoloLens (Filme: De volta para o Futuro II)

Eu realmente estou muito animado com o HoloLens, mas vale lembrar que o que vai definir o sucesso dessa nova plataforma é o que a Microsoft fará com ele no mercado, na vida real, a estratégia de vendas, a relação com os developers, developers, developers… Enfim, quem não lembra do anuncio do Kinect na E3 de 2009? Você é o controle! Bom, quase tudo que eles anunciaram naquele vídeo se tornou realidade, o Kinect é uma excelente ferramenta, mas onde estão os jogos realmente legais? Se alguém souber do jogo que escaneia o Skate me avise, porque não dá pra viver só de Dance Central e Kinect Adventures, né Microsoft? A proposito, estou vendendo meu jogo Fighters Uncaged novinho, interessados, entrem em contato e pra quem não viu o vídeo é esse.

Foi pensando nisso que fiz uma lista de 10 inovações de jogos que chegaram antes do tempo e por sorte, com alguns ajustes, conseguiram emplacar anos depois, porém outras não.

10 – Nintendo Power Glove (1989)

Manopla do infinito virtual

Manopla do infinito virtual

Com o sucesso do NES a Nintendo teve uma ideia interessante, mas muito à frente do seu tempo, o Power Glove, uma luva com sensores de movimento, que apesar de hoje isso ser comum, não a luva, e sim o sensor de movimentos, foi um dos maiores flops da Big N que levou 17 anos para aprimorar a ideia e finalmente lançar o Wii Remote, que foi um sucesso, e sem Power Glove, não teríamos hoje o Wii, Kinect e o pirulito da Sony, então obrigado Luva do poder.

9 – Atari Lynx (1989)

Atari Lynx ao lado de um PSP

Atari Lynx ao lado de um PSP

Atari Lynx foi um console portátil (nem tanto, se olhar bem), sendo o primeiro a ter uma tela colorida retroiluminada, e esse foi o problema. A Nintendo dessa vez preferiu manter seu GameBoy sem luz de fundo na tela e fez sucesso, derrubando o Lynx e GameGear que sofreram do mesmo mal, e não tinha bateria que desse jeito.

8 – SEGA VR (1991)

sega-vr.jpg

Anunciado em 1991 para Mega Drive, o Sega VR foi um headset de realidade virtual, tinha um fone de ouvido stereo permitia que os jogos fossem controlados por movimentos e um display LCD interno, imagina a dor de cabeça que isso não dava? Apesar de não ter sido um sucesso nos anos 90 no Mega Drive, teve seu destaque nos arcades.

7 – SEGA Channel (1993)

45750

Talvez a melhor invenção a ter dado errado nessa lista, SEGA Channel foi o primeiro serviço de jogos on-demmand e inovou bastante em muitas áreas, que hoje viraram tendência. Também para o Mega Drive, o serviço era distribuído pela Time Warner Cable e custava US$ 14,95 para te dar acesso a uma biblioteca de 50 jogos, que eram transferidos para um cartucho por meio da rede de TV a cabo. Genial, não? infelizmente o mundo ainda não estava pronto para essa tecnologia, que hoje é bastante difundida.

6 – Sonic 3 & Knuckles (1994)

Isso sim era ostentação

Isso sim era ostentação

Hoje em dia é comum termos séries de jogos e histórias que se conectam e fazem você comprar sempre aquele jogo novo que saiu para continuar a história de seu personagem favorito, mas antigamente não era assim, no entanto, Sonic & Knuckles foi o pioneiro nessa ideia de conectar jogos para ter uma história completa. Apesar de ser um conceito bem bruto, mas muito divertido, pois você tinha que encaixar um cartucho em cima do outro para liberar as “DLC’s” da época e adicionar personagens, fases extras e etc. Em algumas fases de Sonic 3, por exemplo, existiam lugares que só dava pra você passar com o Knuckles, outras com o Tails, aí que entrava sua DLC pra colocar o personagem dentro do jogo de uma maneira jogável. Infelizmente a ideia não pegou, mas hoje temos os downloads de conteúdo pra nos salvar, ou nem tanto, já que é quase tudo pago.

5 – SEGA Saturn (1995)

Sega_saturn_blanche

Mais um console visionário da SEGA que falhou

O SEGA Saturn estava previsto para ser lançado no dia 2 de setembro de 1995, mas na E3 em maio, Tom Kalinske, CEO da SEGA of America, surpreendeu a todos ao anunciar que o console já havia sido enviado para diversos varejistas para venda imediata. A decisão audaciosa, no entanto, foi um fracasso, seu concorrente, PlayStation vendeu bem mais.

Hoje em dia é comum termos lançamentos surpresa e tudo está mais fácil com a internet que ajuda a espalhar as noticias mais rapidamente, porém, ainda torço por um lançamento surpresa do Dreamcast 2. Esse sim, seria sucesso absoluto.

4 – Nintendo 64 Expansion Pak (1998)

expansion

Hoje em dia atualizações de hardware são comuns e recorrentes, PC gamers estão sempre melhorando seus computadores para conseguir um desempenho melhor e nos consoles, no máximo uma mudança de disco rígido, mas quando foi lançado o Nintendo 64 Expansion Pak foi, no entanto, um caso estranho que não foi pra frente depois.

Ele adicionava 4 MB de RAM ao N64, que permitia gráficos melhores em alguns jogos e era obrigatório para outros como: The Legend of Zelda: Majora’s Mask, Donkey Kong 64 e Perfect Dark.

3 –  Dreamcast VMU (1999)

Dreamcast VMU

Dreamcast VMU

O Dreamcast VMU trouxe uma experiencia nova para os consoles: enquanto conectado, ele servia como uma segunda tela para os jogos e também servia como memory card para salvar seus jogos. Além disso ele tinha um bônus, com o VMU fora do controle, você podia jogar alguns minigames diretamente nele. A sua desvantagem era que o controle do Dreamcast ficava estranho e incompleto sem o VMU conectado. Hoje em dia temos vários consoles da Nintendo com segundas telas como o Wii U e 3DS, por exemplo.

2 – Adaptadores de rede para Dreamcast/PS2 (2002)

O Dreamcast era um console muito à frente de seu tempo, e foi o primeiro console com acesso a internet, ele vinha com um modem embutido em algumas versões, aqui no Brasil, por exemplo, um adaptador tinha que ser comprado separadamente, a Sony algum tempo depois resolveu lançar um adaptador de rede para seu PlayStation 2 não ficar para trás, mas a moda de jogar online só veio pegar mesmo com o Xbox e o lançamento de Halo 2 que virou febre e popularizou as partidas online.

SONY DSC

1 – OnLive PlayPack – Coleção instantânea de jogos (2010)

Serviço foi relançado em 2014

Serviço foi relançado em 2014

PlayStation Plus hoje é o melhor exemplo do que esse serviço tentou ser em 2010, quem mantinha a assinatura do serviço tinha acesso a uma biblioteca de mais de 70 jogos, que podiam ser jogados enquanto o usuário mantivesse a assinatura do serviço, além de oferecer desconto em vários jogos. Infelizmente o OnLive não conseguiu fazer o sucesso esperado e a empresa foi vendida, felizmente o serviço foi relançado em 2014 e vale a pena dar uma conferida.

Menção nada Honrosa – Nintendo Virtual Boy (1995)

isso não é nada ridículo

isso não é nada ridículo

Considerado por muitos, que jogaram, ou que somente viram de longe, como o maior fracasso da Nintendo e do mundo dos jogos eletrônicos, o Virtual Boy é uma criação de Gunpei Yokoi, pai do Game Boy e era considerado um console portátil, serio? Apesar de ser o primeiro console com um processador de 32 bits e prometer trazer uma imersão no mundo da realidade virtual em 3D, o Garoto Virtual só podia ser jogado apoiado em uma mesa e seu visor só apresentava duas cores: VERMELHO e PRETO. Deu dor de cabeça só de pensar não é? A própria Nintendo recomendava descansos a cada 15-30 minutos e era proibido para menos de 7 anos, realmente, a Big N faz bem em fingir que esse console nunca existiu.

Espero que daqui a alguns anos o Kinect e HoloLens não entrem nessa lista, mas o que você acha disso? Deixe sua opinião nos comentários.

Fonte: G




  • Muito bom Julian. Eu ainda citaria o WiiMote, o 3D sem óculos do 3DS e de certa forma o GamePad do Wii U.
    PS: Muito obrigado pela menção ao Vida de Gamer 😉

    • Obrigado pelo comentário Dori 🙂 De certa forma acho que o WiiMote é uma evolução do Power Glove, e realmente caberia citar o 3D do 3DS, que deu super certo, além do GamePad do Wii U que foi uma evolução do VMU com interface touch. E eu adoro seu blog.

    • Gabriel Leonardo De O. Ribeiro

      O WiiMote foi um sucesso, foi a razão do Wii vender muito mais do que o PS3 e o 360 e fazê-los copiarem a receita, o console da Sony fez uma cópia descarada com o PSMove e o da Microsoft teve uma proposta mais original: o Kinect.
      Mas falando da Sony, vale lembrar o fiasco dela com a tentativa de popularizar o 3D nos jogos.

  • Thiago Urameshi

    Muito boa a matéria! Parabéns!
    Só tem um porém, até onde eu sei, o Mega Drive foi o primeiro console a se conectar a internet.
    Pra variar, também era da nossa amada Sega…